Devidos as chuvas no RS as entregas podem sofrer atrasos
Meu carrinho
0
Seu carrinho está vazio
O que você está procurando?
x

Dicas

Quais os melhores tipos de tecidos para roupas de bebês e crianças?

Publicado em 17.04.2024 |
Visualizações
22 visualizações

Conhecer os tipos de tecidos para roupas infantis é o primeiro passo para fazer as escolhas certas na hora de comprar ou usar esses produtos.

Neste conteúdo, vamos explicar os mais comuns na fabricação de roupinhas para bebês e crianças, vem ver!

Algodão

algodao sob tecido de algodao

Se você é mãe, pai ou tem contato com os pequenos; com certeza, já ouviu falar das roupinhas de algodão.

O algodão, é um tecido de fibra natural muito delicado e supermacio. É por isso que o seu uso é muito comum.

Além disso, o algodão é respirável, o que permite a troca de ar entre o ambiente e as crianças.

Geralmente, os produtos feitos com essa matéria-prima, não agridem e nem irritam a pele dos pequenos.

100% algodão

O que você talvez ainda não saiba é que existem vários tipos de tecidos de algodão.

Por isso, nem toda roupa é igual, mesmo que seja fabricada com fibras naturais.

Agora, vamos te explicar um pouquinho mais sobre essas diferenças para você fazer as melhores escolhas quando o assunto é o conforto do seu pequeno.

A malha 100% algodão é estável e maleável, ela se adapta aos movimentos do corpo, inclusive a matéria-prima é muito comum em outros produtos voltados ao enxoval dos bebês.

Poliéster

tecido de poliester

Esse é um dos principais tecidos sintéticos para fabricação de roupas de bebês. Mas, a indicação é um pouco mais restrita aos dias frios.

O poliéster tem baixa absorção de água e mantém a temperatura do corpo do bebê por mais tempo do que as fibras naturais, como algodão.

Ah! Aliás, o poliéster não desgasta e, na maioria das vezes, o tecido não exige ser passado em ferros elétricos, o que acaba otimizando o tempo e deixando tudo mais fácil. ;)

Malha

tecido de malha

As roupinhas de malha são aquelas que têm fios de algodão ou poliéster.

A principal vantagem é que o tecido se sustenta de forma independente, ficando livre para se movimentar quando é ou for submetido a qualquer tipo de força de tensão.

Ou seja, são roupinhas flexíveis e muito leves. Além de serem excelentes opções para as crianças que estão começando a se exercitar mais, seja dando os primeiros passinhos ou começando a dançar, pedalar e assim por diante.

Suedine

tecido de suedine

O suedine é uma malha feita de algodão, com a principal característica de “imitar” a pele humana.

Para isso, o corte do fio é bem curto e feito em tecelagem fechada, o que significa que essas roupinhas de bebê, além de fofas, são muito macias.

Ele tem uma textura quase aveludada, mas não é quente. Ao contrário, por ser fabricado totalmente com algodão, tem indicações para o verão ou para dias com temperaturas baixas.

Algodão e Poliéster

Agora, uma combinação conhecida como tecido misto. Neste exemplo, o algodão e o poliéster garantem produtos resistentes, com maciez e praticidade nas lavagens.

No geral, as roupas de tecido misto encolhem pouco e podem ser lavadas com mais frequência sem preocupação.

Mas fique atento! É preciso observar o quão quente pode ser, por isso, nem sempre serão indicadas para os dias mais quentes.

Outra combinação comum que encontramos no mercado é o algodão mais o elastano, outro material sintético muito resistente.

Poliéster e Viscose

tecido de poliester e viscose

Aqui, as roupas infantis são feitas com poliéster e viscose, sendo que o percentual pode depender de vários fatores, como dos interesses das fabricantes.

Ambos os tecidos são artificiais e não tem a mesma respirabilidade da fibra natural.

Justamente por isso, o seu principal objetivo é o de aquecer o corpo ou manter a temperatura dele, sendo ideal para dias mais frios e de inverno.

Em termos de qualidade, é um bom material, resistente, fácil de lavar e com secagens rápidas.

Qual o melhor tecido de roupa para bebê?

A produção de roupas para bebês exige um grande cuidado por parte das fabricantes, que investem cada vez mais em produtos funcionais e seguros.

As roupinhas mais frescas e respiráveis são melhores porque os bebês ainda não autorregulam a temperatura corporal.

De qualquer maneira, a recomendação é avaliar vários fatores, como: região, idade e etc.

A lã é uma fibra natural com muitos benefícios, porém, é preciso ter um cuidado maior já que em alguns casos, pode causar alergias.

Já as peças que misturam as fibras têm benefícios, tanto voltados a praticidade quanto ao custo-benefício.

Geralmente, esses produtos são mais aceitos por crianças maiores, com peles mais resistentes e melhor controle da temperatura do corpo.

São tecidos comuns em biquínis, sungas e roupas de natação.

Qual o tecido mais fresco para bebê?

Se a sua busca é por um tecido fresco para vestir os bebês e as crianças, a escolha se aproxima mais dos produtos com fibras naturais, isto é, o algodão.

Lembrando haver no mercado uma gama de alternativas para combinar o tecido com outras fibras, como poliéster.

A escolha do algodão tem sido interessante para fabricantes de roupas de cama.

Afinal, a noite de sono é algo que impacta diretamente na qualidade de vida de todos, assim o tecido deve ser confortável e aconchegante.

Quais tecidos são feitos com 100% de algodão?

Psiu, é importante saber que as roupas que você vai escolher, se feitas com fibras naturais, podem ter benefícios como: evitar alergias, controle da temperatura corporal e oferecer mais liberdade de movimento.

  • Tricoline;
  • Cambraia;
  • Malhas;
  • Laise;
  • Lã;
  • Seda;
  • Sarja;
  • Suedine;
  • Percal.

Também é legal considerar que estamos diante de produtos de origem vegetal, no qual os tecidos são extraídos de plantas, sementes, folhas, frutos e caules.

Por isso, mesmo que seja 100% de algodão, os tecidos podem apresentar características diferentes.

Já os tecidos de fibras artificiais vêm de produtos naturais, porém, incluem substâncias não produzidas pelo homem.

É o caso da viscose e da celulose e há ainda as fibras sintéticas, essas feitas de materiais petroquímicos, como poliéster, elastano, náilon, etc.

Aceite os cookies e tenha uma melhor experiência em nosso site, consulte nossa Política de Privacidade.